Poema – Por Luna S.

No desespero dos dias vazios a alma faminta vaga

pelos desejos e anseios da fria menina

que sonha com o céu,

 que deseja o mar,

que toca a escuridão,

 e mergulha nas estrelas,

 sem ao menos sair do lugar 
em que as garras da realidade a sufocam.

O lugar que a ensionou a esfriar o coração

para que os fantasmas que a rodeiam 
não a suguem para o abismo das futilidades,

para que nunca percebam que dentro dela,

no lugar mais protegido 
por trás das muralhas erguidas por ela,

ainda existe a garota doce 
que um dia acreditou que o mundo eram os campos elísios.

Por  – Luna S.

large

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s