ERA DA REVOLUÇÃO – Johann Gottlieb Fichte (1762-1814)

Johann Gottlieb Fichte foi um filosofo alemão do século XVIII,nascido em Rammenau, Saxônia (Alemanha). Estudou na Universidade de Jena. 01

Área: Epistemologia| Aborgadem: Idealismo


Fichte foi um dos criadores do movimento filosófico (aparecimento ou o aumento da popularidade de uma determinada linha de pensamento filosófico ou ainda uma aparente mudança do pensamento filosófico sobre um assunto em particular)¹conhecido como idealismo alemão, que desenvolveu a partir dos escritos teóricos e éticos de Immanuel Kant.”Para escrever sua filosofia ele toma a filosofia de Kant como ponto de partida e tenta chegar a algumas propostas que, segundo ele, Kant não tinha demonstrado ou exposto de forma clara.”²

Fichte investigou como é possível para nós existir como seres éticos com livre-arbítrio, enquanto vivemos em um mundo que parece ser determinado de maneira casual.Como podemos considerar que temos livre-arbítrio, ele perguntou, se tudo é determinado por algo além, que existe fora de nós mesmos? Segundo ele, usando como base uma versão similar ao idealismo de Kant, o “eu” é um ente ou essência ativa que existe fora das influências casuais e é capaz de pensar e escolher com liberdade, independência e espontaneidade.³

Considere o eu e observe o que está envolvido ao fazer isso.
Johann Gottlieb Fichte

“We do not act because we know, but we know because we are destined for action; practical reason is the root of all reason.”
― Johann Gottlieb Fichte

“What sort of philosophy one chooses depends, therefore, on what sort of man one is; for a philosophical system is not a dead piece of furniture that we can accept or reject as we wish, it is rather a thing animated by the soul of the person who holds it.”
― Johann Gottlieb Fichte

If we cannot live so as to be happy, let us so live as to deserve happiness.
— Johann Gottlieb Fichte

OBS: Para quem quiser saber mais sobre suas obras, vida e obter um conhecimento mais abrangente sobre sua filosofia, é indispensável que acessem os links abaixo. Tentei reunir de forma mais simplicista e harmônica possível , para fácil entendimento. Espero que tenham gostado, amo filosofia e sempre que posso procuro conhecer o trabalho de filósofos que não conheço. XOXO.  

Fontes: Wikipédia | 1* Wikipédia | 2* Filosofia.com.br | 3* Livro – O Livro da Filosofia- página 176 | GoodReaders |

 

Anúncios

ERA DA REVOLUÇÃO – Arthur Schopenhauer (1788-1860)

Arthur Schopenhauer (1788 – 1860) schopenhauer04, foi um filosofo alemão do século XIX, mais conhecido por suas ideias “pessimistas” que dizem respeito à vida humana. Schopenhauer acreditava no amor como meta na vida, mas não acreditava que ele tivesse a ver com a felicidade.

Área: Metafísica| Aborgadem: Idealismo

Vida

Nasceu em uma família rica em Danzig (antiga Prussia e atual Gdansk, Polônia), passou boa parte da vida trabalhando como comerciante e após a morte do pai em 1805, foi para a universidade e estudou filosofia e psicologia, completando os estudos, lecionou na Universidade de Berlim.

Obras :

Sua obra mais conhecida é “O mundo como Vontade e Representação” (1819). Esta obra é composta por quatro livros, sendo que o primeiro é dedicado à teoria do conhecimento; o segundo, à filosofia da natureza ; o terceiro, à metafísica do belo; e o último, à ética.
Para Schopenhauer, com sua personalidade forte, alegava que “todo homem aceita os limites de seu próprio campo de visão como os limites do mundo ¹ “. Sua principal influência era Imanuel Kant, detestando o “idealista Georg Hegel pelo estilo literário seco e pla filosofia otimista”²

Sua principal filosofia :

” Todo homem toma os limites de seu próprio campo de visão como os limites do mundo”

Frases:

“Se quisermos avaliar a situação de uma pessoa pela sua felicidade, deve-se perguntar não por aquilo que a diverte, mas pelo que a aflige.
– Aforismos sobre a Sabedoria da Vida”

“Ficaremos cada vez mais indiferentes quando alcançarmos um conhecimento suficiente da superficialidade e da futilidade dos pensamentos, da limitação dos conceitos, da pequenez dos sentimentos, da absurdez das opiniões e do número de erros na maioria das cabeças.-Aforismos sobre a Sabedoria da Vida”

“A glória deve ser conquistada; a honra, por sua vez, basta que não seja perdida.-Aforismos sobre a Sabedoria da Vida”

“Raramente pensamos no que temos, mas sempre no que nos falta.”

 

Fontes: Wikipédia Citador | O Livro da Filosofia – Editora Globo
1* O livro da Filosofia, Página 187 | Editora Globo
2* O livro da Filosofia, Página 186 | Editora Globo