Minhas novas aquisições de leitura

Boa tarde ❣

Hoje é um dia muito especial. Dia das mães é todo dia gente, mas sim, hoje é uma data em que ficamos mais próximos ainda de nossas mamães e com este dia lembro-me de minha infância, de quando eu pedia livros para minha mãe e a partir daqueles momentos eu teletransportava-me à outro mundo. Obrigada mãe e pai pelas inúmeras histórias que vocês me apresentaram.

Infelizmente ainda continuo com o escasso de tempo para ler, escrever e me dedicar ao blog, porém sempre que dá leio um livro ou outro. Nestes últimos tempos não tenho comprado muitos livros, segue então minhas novas aquisições.

P_20180513_120039_vHDR_On_1

Escrito em 1985, o romance distópico O conto da aia, da canadense Margaret Atwood, The Handmaid’s Tale conta a história na distopia de Gileade, uma sociedade totalitária que foi anteriormente parte dos Estados Unidos. Enfrentando desastres ambientais e uma taxa de natalidade em queda, Gilead é governada por um fundamentalismo religioso que trata as mulheres como propriedade do estado. Como uma das poucas mulheres férteis restantes, Offred é uma serva na casa do comandante, uma das castas de mulheres forçadas à servidão sexual como uma última tentativa desesperada para repovoar um mundo devastado. Nesta sociedade aterrorizante onde uma palavra errada pode acabar com sua vida, Offred vive entre comandantes, as suas mulheres cruéis e seus servos – onde qualquer um poderia ser um espião para Gilead – tudo com um único objetivo: sobreviver e encontrar a filha que foi tirada dela.

Ainda não o li, mas espero fazê-lo em breve. A série é simplesmente incrível, por conta disto espero muito mais do livro. Atualmente acompanho a segunda temporada e o canal Hulu já confirmou a 3 temporada.

P_20180513_115820_vHDR_On_1

Estar solteira pode ser muito divertido e libertador, mas muitas mulheres deparam com diversos tipos de insegurança quando estão sozinhas. Neste seu primeiro livro, a atriz e digital influenciar Julia Faria defende que o foco principal delas nesse momento precisa ser conhecer melhor a si próprias, e não outras pessoas. Só assim conseguirão encontrar suas caras-metades (se assim desejarem). Os delicados textos aqui reunidos ajudam a refletir sobre o que esperar de um relacionamento e a lidar com o fim inevitável de alguns deles. Sempre com bom humor, a autora faz uma necessária investigação do mundo do flerte e seus códigos. Mais do que um livro para quem está (ou esteve) solteira, a estreia de Julia Faria é uma defesa da autoestima feminina. Sem ela, mostra a autora, não existe final feliz.

Este livro é muito bom. No período em que o li, estava conhecendo um rapaz, que não veio a dar em nada no final das contas, mas o divertido é que em quase todas as fases do livro, sendo desde o primeiro encontro à fase de não dar certo, eu consegui me identificar demais com as diversas passagens da autora e dar risada com tudo aquilo. Em breve farei uma resenha e conto mais sobre minha falha mas divertida experiência.

P_20180513_115759_vHDR_On_1

Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois. Tudo muda quando Martin, o bobão da escola, descobre uma troca de e-mails entre Simon e um garoto misterioso que se identifica como Blue e que a cada dia faz o coração de Simon bater mais forte.
Martin começa a chantageá-lo, e, se Simon não ceder, seu segredo cairá na boca de todos. Pior: sua relação com Blue poderá chegar ao fim, antes mesmo de começar.
Agora, o adolescente avesso a mudanças precisará encontrar uma forma de sair de sua zona de conforto e dar uma chance à felicidade ao lado do menino mais confuso e encantador que ele já conheceu.

O que dizer sobre este livro ? Assim que soube a um ano atrás que teria uma adaptação do livro nos cinemas fui ansiando à sua compra, por fim o filme estreou eu não consegui ler o livro antes de assisti-lo, tampouco consegui assistir ao filme,o que de fato é algo bom já que agora tenho o livro e pretendo lê-lo antes de ver o filme.

P_20180513_115721_vHDR_On

Autobiografia de Henry D. Thoreau, Walden é a manifestação dos ideais de um dos maiores críticos da civilização industrial na história. Publicada em 1854, a obra passa por temas não superados até hoje pelo homem contemporâneo, como o direito à liberdade e o respeito à natureza. E tudo começa com um intrigante experimento social. Em 1854, buscando apartar-se de uma sociedade cada vez mais complexa, Thoreau retira-se para a propriedade de um amigo às margens do lago Walden. Na pequena cabana na floresta, adapta as suas habitações e constrói seus móveis, planta os alimentos que consome e os prepara, faz descobertas espirituais. Por meio de uma vida simples e autossuficiente, cria sua utopia. Ainda que seja uma crítica à vida urbana do século XIX, Walden ainda é capaz de suscitar importantes reflexões sobre nosso modo de vida. Em mais de um século de existência, tornou-se uma referência para movimentos libertários, ecologistas e todos os que buscam uma vida mais harmônica.

Eu que me considero uma pessoa super amante da natureza, passei um tempo pesquisando livros, em que as historias se passassem apenas no convivo entre a natureza e a busca pelo ser. Afirmo que este livro conseguiu fazer-me encontrar o que procurava. Vale muito uma resenha detalhada.

P_20180513_115617_vHDR_On

Naomi, Rose, Leo e Red são adolescentes enfrentando aquela fase em que se relacionar no colégio é tão difícil quanto encarar os próprios problemas. Red tem uma mãe alcoólatra e um pai ausente; o irmão de Leo está na prisão; Rose usa sexo e drogas para mascarar traumas antigos e Naomi se esconde atrás de peruca e maquiagem pesada.
Quatro adolescentes tão diferentes viram melhores amigos quando são obrigados a formar uma banda. O que era uma tarefa chata vira a famosa e popular Mirror, Mirror. Através da música, eles encontram um caminho para encarar o mundo de outra forma.
Mas tudo desmorona quando Naomi some misteriosamente e é encontrada, dias depois, entre a vida e a morte. O acidente desestrutura a banda e, consequentemente, a vida de todos. A sólida relação de amizade que eles achavam estar construindo tinha uma rachadura, e tudo o que restam são dúvidas e vazios. O que aconteceu com Naomi? Foi um acidente ou um ataque? Por que ela fugiria e deixaria a banda para trás? Por que esconderia segredos dos seus melhores amigos? Para desvendar o mistério por trás dessa história, Red e os amigos entram em uma investigação que vai desenterrar seus próprios segredos obscuros e fazê-los confrontar a diferença entre o que eles realmente são de verdade e a imagem que passam para o mundo.

Adquiri este livro e o abaixo, através de um clube de assinatura de livro, não o li e nem o outro, mas quero muito.

P_20180513_115559_vHDR_On

A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto tenta lidar com o próprio transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, distúrbio mental que o afeta desde a infância –, “Tartarugas Até Lá Embaixo” tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.

E vocês o que andam lendo no momento ? Já leram algum dos que citei acima ? 📖

Anúncios

#Correios – Recebidos do mês (Abril)

 

Oii gente, voltei de novo ♥ Chegou mais um livro agora a pouco, da parceria minha com a Editora Scortecci e não aguentei a ansiedade de vir até aqui mostra-lo ♥ Mais um livro para ler. Amo livros, amo ler. Ontem dia 23 foi dia Mundial do Livro e deveria ter postado algo a respeito, mas não postei porque passei o dia vendo série (Designated Survivor) Bom, livros é essencial pra mim e deveria ser a todos, vai além de ser uma questão somente para crescer,aprender, desenvolver. Para mim é uma forma divertida de trabalhar a imaginação, pois através dela é que o ser humano faz coisas incríveis e a leitura é uma das maneiras de nos proporcionar isto. Então feliz dia mundial do livro atrasado e muita leitura e imaginação para todos nós ♥

A capa deste livro é lindo e é o segundo livro que recebo e envolve a palavra anjo, gente é muito amor por estes livros, sinceramente mal espero para lê-lo e resenha-lo. Amo romance, é um dos meus gêneros favoritos acho que é porque nunca vivi um amor assim, então acabo amando ler sobre e imaginando como deve ser 😍😂

IMG_20170424_133304215IMG_20170424_133422359

  • Confiram a sinopse:

“Nesse mesmo momento, invisível aos olhos de todos…
Ele contemplava o burburinho dos carros e das pessoas na rua movimentada.
… homens, mulheres, casais caminhando normalmente, de braços dados, de mãos dadas e casais se abraçando, se tocando nos lábios e …
Ele se deslocou para bem perto e ficou olhando, olhando aqueles seres humanos, principalmente os que estavam se beijando, o que eles estavam fazendo e, instintivamente, conjeturou sobre o quê, eles deviam estar sentindo.
Ele sentiu que suas emoções afloravam e o tornavam consciente, que pela primeira vez, nos séculos de sua existência, que ele seria movido pela sua vontade, por essas emoções e ansiava sentir essas sensações que os humanos sentiam.
Alicia…
Sem atinar com a razão disso, a linda figura daquele lindo ser humano tão maravilhoso, surgia à sua frente, como uma figura holográfica, naquele exato momento de sua conscientização do que suas emoções estavam lhe transmitindo.”

Resenha – Notas do Subsolo – Fiódor Dostoiévski

Bom dia 🌹

Como mencionado no post anterior eu finalmente terminei de ler Notas do Subsolo e sinto-me diferente de certa forma, é muito bom concluir um livro e saber que se passará quantos anos forem, você sempre irá se lembrar da história com carinho Vale lembrar que o livro foi traduzido diretamente do russo por Maria Ap. Botelho Pereira Soares (amo traduções diretamente da língua materna).

1490190219959

Gênero: Novela/Filosofia | Número de páginas:160 | Editora: L&PM POCKET| Autor: Fiódor Dostoiévski

♥♥♥♥♥
Classificação: Excelente

Sinopse: Notas do subsolo é um marco no grandioso conjunto de obras que Dostoiévski legou à humanidade. Dotado de um humor mordaz, provocativo e desafiador, este livro introduz as idéias de moral e política que o escritor mais tarde abordaria nas obras-primas Crime e castigo e Os irmãos Karamazóv. Sua idéia de “homem subterrâneo” legou à ficção européia moderna um dos seus principais arquétipos, encontrado também em Kafka, Hesse, Camus e Sartre: o anti-herói morbidamente obcecado com a sua própria impotência de lidar com a realidade que o cerca.
Esta obra, publicada inicialmente na revista Epokha, editada por Dostoiévski e por seu irmão Mikhail, traz em si várias discussões filosóficas. Dividida em duas partes, é um autoflagelante monólogo no qual o narrador, um rebelde contrário ao materialismo e ao conformismo, discute sua visão negativa do mundo e aborda as principais questões do seu tempo, constituindo uma narrativa de uma intensidade incomum.

📗

Acredito que em algum momento eu tenha apresentado certa dificuldade em começar esta resenha, pensei muito, muito mesmo por onde iniciar.  Em que dar prioridade? No que colocar ênfase? O que é indispensável?  E tudo da maneira mais simples possível! Não me perdoaria se fizesse algo mais ou menos, na verdade caso o fizesse nem atreveria-me a publicar, não resta-me mas nada à não ser acreditar que fiz um bom trabalho. Essa foi uma das leituras mais prazerosas que tive. Entendam, uma resenha consiste em ser imparcial, mas pergunte-me varias vezes como ser, nesta ocasião!

Quem já leu sabe, é um livro bem complexo (ao menos eu achei). Quando você se perde lendo muitos romances e livros atuais e de repente lê um clássico, acaba se sentindo meio acuado com esse tipo de leitura, com uma narrativa bem diferente da qual acostumou-se acaba então, tendo um pequeno impacto, foi o que apresentei no começo (sim, apenas no começo).

De todo modo tudo tem seu inicio, não?  Então lá vou eu … Do começo!

🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷

“Sou um homem doente… Sou mau. Não tenho atrativos.” Pg 01.

O livro é dividido em duas partes na primeira (Subsolo) ele (o narrador que não revela seu nome em momento algum) relata coisas pessoais, sua perspectiva de ver as coisas à seu redor e à si mesmo. Uma confissão acerca de si, política, filosofia, sociedade onde ele dialoga com o leitor em primeira pessoa incitando- os a desafiá-lo, a contradizê-lo, ele refere-se quase sempre a estes leitores como “meus senhores”. Penso que nesta primeira parte posso colocar como exemplo um diário, sim, digamos que seja um diário onde de maneira negativa e certa forma divertida ele abrange assuntos com um ar amargo, torpe e ignóbil em seus questionamentos e reflexões.

“Não apenas consegui tornar-me cruel, como também não consegui tornar nada, nem mau, nem bom, nem canalha, nem homem, nem honrado, nem herói, nem inseto.” Pg 13.

O narrador se auto contradiz muito, ora elogia-se e imponha seu orgulho de ser o homem que é, ora se lastima por ser um misero e hediondo homem de quarenta anos que não tem nada nem ninguém, que não é nada.

 Há uma apresentação infeliz de baixa auto-estima muito alta, quase sempre apontando a necessidade de desafiar o leitor a sentir pena dele, inclusive ele mesmo muitas vezes apresenta esta dádiva em diversas partes ao decorrer da história.

“Explico-lhes: o deleite aqui derivava precisamente da consciência excessivamente clara de minha humilhação; de que você sente que já chegou ao derradeiro limite; que isso é detestável; mas também, que outra coisa é impossível; que você já não tem saída, já não pode mudar. Mesmo se ainda restasse tempo e fé para se transformar em algo diferente, provavelmente você mesmo não iria querer se transformar; e, se quisesse, ainda assim não faria nada, porque talvez não houvesse no que se transformar.” Pg 16.

Em seus momentos de lamúrias o narrador culpa-se por ser o que é, culpa-se pela sua condição vil, e pelo fato de ser o que é (vil), não faz questão alguma de mudar.

“Sou, por exemplo, uma pessoa com um amor próprio exagerado. Sou desconfiado e ressentido, como um corcunda ou um anão, embora, verdade seja dita, houvesse momentos em que, se me dessem uma bofetada, eu talvez ficasse alegre com isso. Estou falando sério: provavelmente eu conseguiria, ai também achar um certo tipo de prazer, sem duvida, o prazer do desespero, mas é no desespero que acontecem os prazeres mais intensos, especialmente quando você já percebe muito fortemente que sua situação não tem saída.” Pg 17.

“… por mais que eu reflita a respeito, de qualquer maneira resulta que eu sou o principal culpado de tudo e, o que é mais lastimável, sou culpado sem culpa e de acordo com as leis da natureza, por assim dizer.”Pg 17

Ainda nesta primeira parte ele repassa seus momentos nesta suas confusões de idéias, dúvidas, ressentimentos, o que sempre acaba trazendo a tona mais perguntas do que respostas, embora em suas respostas quase convincentes -assim por dizer -, ele sempre busque uma justificativa para seus leitores, quanto para si mesmo, dos seus porquês.

“Mas o homem é um ser inconstante” Pg 44

“Estou convencido de que o homem nunca renunciara ao sofrimento verdadeiro, isto é, à destruição e ao caos.” Pg 46

“Mas o que fazer se meti na minha cabeça que não vivo somente para isso e que, se vou viver, quero que seja num palácio? Isso é o meu desejo, é a minha vontade. Os senhores só a arrancaram de mim quando tiverem modificado os meus desejos.” Pg 47

“Não direi que estou saciado se tenho fome; mesmo assim, sei que não me contentarei com um meio termo.” Pg 47

“Destruam meus desejos, apaguem meus ideais, mostrem-me alguma coisa melhor e serei seu seguidor” Pg 47

📗

Ok, vamos então a segunda parte …

Em todo o contexto foi aqui que mais me diverti lendo, nesta segunda parte (A propósito da neve úmida – pg 53), há uma breve introdução do poema de Nekrássov e seguimos com o narrador aprofundando-se mais ainda em seus motivos que o fizeram ser tão desprezível quanto afirma ser. Composto por suas lembranças, a narrativa com humor e sátira, introduz suas desafortunadas tentativas de ser bem visto na sociedade, ser respeitado e querido por aqueles que o rodeiam.

“Havia ainda naquela época outra circunstância que me torturava: precisamente o fato de que ninguém se parecia comigo e eu não era parecido com ninguém. Eu sou único e eles são todos”. Pg 56

Como mencionei acima, há uma contradição demasia e todo um drama, uma insensatez absurda que o domina.

“Um papel secundário eu nunca pude aceitar, e era por isso que na vida real ocupava muito tranquilamente o último lugar. Ou herói ou a lama, não havia meio termo. Pg 69

 Nessas devidas ocasiões o narrador vive de suas fantasias, remoe-se por dentro para ser bem visto. Há toda uma alusão e paranoia que ele mesmo cria para si e não descansa até fazer algo a respeito ou ter uma resposta, algo afirmativo que o deixe descansar a mente e/ou ter algum certo tipo de alívio. Paranoia, definitivamente é como eu classificaria esta segunda parte.  Em uma determinada ocasião o narrador com uma audácia e inteligência mordaz justifica-se relembrando o fato de um oficial ter-lo empurrado e ele se sente um nada, humilhado e sem valor, o que incita-o  a vingar-se, e assim passam alguns anos e ele insiste em dar o troco, criando todo um plano a respeito, ele encara isso como uma maneira de recuperar sua honra, algo que para ele é de extrema importância. Há também o desprezo e ódio que ele sente por seu empregado o Apollon, e também a personagem Lizza que é uma prostituta que entra na sua vida, e seus antigos colegas de escola, tudo isso consta nesta segunda parte.

Bom muita coisa acontece, o que eu disse nesta resenha não chega a ser nem 5% do que o livro realmente é. Agora posso entender o porquê de este livro ser um clássico e da importância de Dostoiévski tanto na literatura russa, como na mundial.

É uma leitura forte, divertida, que o faz questionar-se, é atual, é sagaz. E acredito que seja indispensável para qualquer amante de literatura. Mal posso esperar para ler outros trabalhos deste romancista russo.

Não posso encerrar mencionando que eu deveria informa-los sobre a questão do belo e sublime* e suas afirmações de ser um anti-heroi, porém acredito que já tenha escrito demais e bom, deixarei estas questões (que são importantes no livro), e as deixarei para que vocês mesmo tirem suas próprias conclusões, quando, -se desejarem-, lerem o livro.

🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷🌷

*Belo e Sublime refere-se ao tratado de Kant, Sobre o sublime e belo. A expressão o sublime e o belo era popular nos críticos russos nas décadas de 1830 e 1840. Pg 15.

NOTA: Espero que apreciem a resenha, acredito que tenha conseguido colocar tudo de mais importante e essencial, deu um pouquinho de trabalho, mas fiquei feliz com o resultado. 

Nova Parceria – Editora Paulinas

Bom dia 

Como eu amo o final de semana. Nada mais revigorante do que poder acordar a hora que quiser e fazer o que quiser (ou não fazer nada).  🤣

Gostaria de começar este mais novo dia, anunciando a mais nova parceria do blog 👏👏👏.  Estou tão feliz, é realmente muito bom ter nosso trabalho reconhecido ♥♥♥

Einstein disse:  “Mesmo desacreditado e ignorado por todos, não posso desistir, pois para mim,vencer é nunca desistir.”

O blog é um pedacinho de mim e fico muito feliz por ter-lo começado e vamos seguindo em frente. Com satisfação, apresento-lhes a Editora Paulinas:

  •  A Editora:

Evangelizar e promover a cultura são as preocupações fundamentais que caracterizam a Paulinas Editora, presente no Brasil desde 1931. Seu nome está relacionado ao apóstolo Paulo, modelo e inspirador de sua atividade missionária e de sua perspectiva universal.

Paulinas Editora é parte integrante do projeto apostólico da Pia Sociedade Filhas de São Paulo, instituição religiosa católica fundada pelo padre Tiago Alberione, com a colaboração de irmã Tecla Merlo, na Itália, em 1915, com o objetivo de evangelizar na cultura da comunicação.

Contando com um parque gráfico próprio e com uma ampla rede de livrarias, espalhadas de norte a sul do país, publica obras de autores de renome nacional e internacional, investe em projetos inovadores e prima pela qualidade de suas publicações, com conteúdos diferenciados e acessíveis às diferentes idades e níveis culturais.

Com seu lugar garantido entre as maiores editoras cristãs do país, Paulinas Editora goza de grande credibilidade em âmbito acadêmico, junto à Igreja e ao público em geral. O conselho editorial, formado por especialistas de diversas áreas, e os demais profissionais envolvidos na edição de textos e produção gráfica, tais como tradutores, preparadores, revisores, designers e ilustradores, tornam possível a publicação e a manutenção de um catálogo que conta hoje com mais de 2 mil títulos, sendo a maior parte deles de autores brasileiros, nas áreas de: Atuação pastoral da Igreja; Bíblia; Catequese; Ciências Humanas e Sociais; Ciências da Religião; Comunicação Social; Desenvolvimento Humano; Educação e Ensino Religioso; Espiritualidade; Estudos Bíblicos; Família; Literatura e Literatura infanto juvenil; Liturgia; Pastoral; Qualidade de Vida; Saúde; Teologia; Vida Religiosa.

Ao longo de sua trajetória, Paulinas Editora vem sendo reconhecida em sua atuação com inúmeras premiações, com destaque para sete Prêmios Jabuti – o mais importante prêmio literário do país, conferido pela Câmara Brasileira do Livro. Diversas obras também receberam a menção “Altamente recomendável” ou indicações ao “Acervo básico”, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil – FNLIJ, entre outras distinções conferidas por associações literárias nacionais e do exterior.

Paulinas Editora – referência de qualidade, ética e respeito pela diversidade cultural e religiosa – cumpre sua missão de promover o diálogo entre fé e cultura e anunciar a Palavra de Deus, fazendo com que o conteúdo de suas publicações, inspirado pelo Evangelho de Jesus Cristo, chegue a toda pessoa que busca orientação, formação e conhecimento.

  • Selecionei alguns livros da Editora, confiram:

Gostaria muito de agradecer a Editora pelo carinho e confiança 🌹



Não deixem de conferir as novidades da Editora pelas redes sociais:

Site | Facebook | Instagram | Twitter | Youtube |

Resenha – Aquela noite

Boa tarde

Chove lindamente aqui em Piracicaba, como amo dias assim 🌧 🌩 . E na cidade de vocês, está chovendo?

Demorei para postar a resenha não? Na verdade acabei dando prioridades à outros assuntos e por conta disto, acabei demorando para finalizar esta leitura.

Este é um livro nacional, ultimamente andei lendo muitos livros de fora, o que me deixou um pouco adormecida para a escrita nacional. Bom, seguindo as informações da editora parceira do meu blog – você pode conferir o post sobre a editora PenDragon aqui – eu escolhi este livro para resenhar.

1488830566456

Gênero: Fantasia | Número de páginas: 210 | Editora: PenDragon | Autor: Fabio Vera Cruz
Sinopse: Aquela noite mudou toda minha vida! Não sou mais a mesma pessoa de antes. Meu humor, meu corpo, meus pensamentos e até mesmo meus olhos não são mais os mesmos. Vivo segundo a segundo, noite após noite tentando me adaptar a este, ao que parece incontrolável poder e ao mesmo tempo tentando ter uma vida normal. 

📔

Sarah Miller é  uma jovem de vinte anos, vive em Casimiro de Abreu, Rio de Janeiro, até que em um novo dia, acorda em uma floresta, completamente nua, lembrando-se de ter ido acampar, mas não necessariamente naquele lugar em que se encontrara. Ali ela conhece Douglas – O bonitão –  moreno,jovem,forte, de olhos verdes e cabelos castanhos e lisos. Ele lhe oferece uma sacola de roupas e … bom, vocês sabem, a historia se inicia!

A personagem principal Sarah encontra-se perdida em um novo mundo, até então, desconhecido. Vampiros, lobisomens, bruxas, caçadores, dentre outros, fazem parte deste novo mundo.  Ela é o tipo de pessoa que vê sua vida ser transformada de um dia para o outro. Antes havia normalidade, depois só incertezas.

Ela descobre ser uma lobisomem, travando uma auto descoberta sobre seu novo mundo e sobre a si mesma. Precisando manter os pés no chão para tomar as decisões certas, já que as erradas poderiam colocar sua vida e daqueles a quem ela se importa em perigo – ela se vê diante de uma guerra entre vampiros e lobisomens, no meio de tudo isso, ainda tem que lidar com as incertezas da juventude, amor, futuro, estudos, proteção a aqueles que ama, a si mesma e encontra em meio a devastação, estabilidade nos braços de Douglas o Alfa do clã Moreira.

 Em Riacho Doce, Minas Gerais, ela encontra mas que amigos, uma família. Sente-se acolhida, amada e protegida. Tia Anne, Douglas e Diego formam uma pequena alcateia e ajudam-na nesta nova fase, com esses novos poderes, aconselhando-a na prática do domínio e controle.

“Poder sentir o vento balançar meus pelos enquanto corro em alta velocidade? Não existe sensação mais prazerosa durante uma caçada. Não tem muito tempo em que dominei meu lobo interior, hoje posso dizer que nos completamos. Pg 57

Muita coisa acontece neste livro, mas acontece rápido demais, do tipo – rápido demais mesmo. Alguns segredos são revelados e você não imagina o que vai acontecer a seguir e quando descobre fica tipo – o que? Há uma junção de muita fantasia .  A proposta do conteúdo é ótimo, porém a narrativa é simples, faltou maturidade nos personagens e mais clareza em relação a historia. É um livro pequeno e em três dias no máximo você consegue finalizar a leitura. 

Nova parceria – Editora Alicanto

E quando a felicidade não cabe no peito ? Ela transborda? Transborda! 😍 Mais um post especial, mais uma conquista, mais um motivo para continuar. Mais uma parceria 🙌 Anuncio à todos que este meu cantinho, meu espaço onde compartilho com cada um de vocês, meus gostos, sonhos, desejos, aspirações e conquistas, conseguiu atingir mais uma meta. Apresento à vocês a Editora Alicanto.

01

  • A Editora:

Editora Alicanto, uma nova editora com um antigo objetivo ; Publicar bons livros.

O Alicanto é uma ave mítica do deserto do Atacama que se alimenta de ouro. Não poderia ser outro nosso nome, já que o alimento da Editora Alicanto também é um tesouro precioso; a boa literatura.  E assim são nossos livros, tesouros literários que enriquecem a mente e alimentam a alma.

             Apesar de novos, chegamos ao mercado com fome dos maiores tesouros que pudermos encontrar ,intrínseco a um antigo ideal: publicar bons livros. Não vemos o livro meramente como um produto, mas como uma peça de arte, uma pequena revolução que pode encantar ,transformar mentes e corações. Sob um modelo de publicação tradicional, investimos em obras que merecem e que valem a pena ser levadas ao público leitor, recebendo  de mente aberta  toda e qualquer forma de originalidade editorial,tesouros literários que enriquecem a mente e alimentam a alma.

Obrigada Editora Alicanto, pelo carinho e confiança 🌺

 

logo-com-papel-01

Acompanhem as novidades da Editora pelas redes sociais:

Site | Facebook | Twitter | Instagram

| Tumblr | Pinterest | Skook

 

02

Resenha – As Decisões de Faustus – Dav Freedman

Boa noite ♥

Quem me acompanha no instagram viu hoje no meu instastore que eu estava lendo este livro, dentro de 4 horas eu o terminei e vim diretamente fazer a resenha para vocês. Esta é a minha outra comprinha feita mês passado no site da saraiva, o preço pago foi, não mais que 4,00, e posso afirmar que valeu cada centavo

1486845744126

Gênero: Ficção | Número de páginas: 160 | Editora: Novo Século | Autor: Dav Freedman

♥♥♥♥♥
Classificação: Excelente

Sinopse: Faustus é um homem muito sábio. Professor de uma Universidade em Nova York, já leu muitos livros e está saturado de tudo o que aprendeu. Com a morte de seu pai, uma herança agora o atormenta – um livro. Um livro que foi passado de pai para filho, desde sua criação por um bruxo maligno. A família tinha a missão de guardar este livro, e livrar-se de seus males. Mas Faustus, embriagado pela ânsia por novos conhecimentos, e com isso poder, riqueza e admiração, abre o livro, estuda suas páginas, e finalmente recita o feitiço. Bem a sua frente surge uma criatura horrenda, um escravo do demônio. Faustus então, certo de que tinha poder sobre ela, pede que apareça com uma forma mais bonita. E então, eis que surge Mefistófeles, com a forma de uma linda e sensual mulher. Faustus, mais do que nunca pensa em tudo o que poderá conseguir se juntar-se a ela, e então vende sua alma para Satã, e em troca, recebe por 24 anos todo o conhecimento que desejava, e também a companhia de sua agora sensual escrava, Feles. No entanto, perde o grande amor de sua vida, Janis. Perde seus amigos, seu coração e seus sentimentos. Uma história picante, que transforma um tradicional mito cristão, em um sinuoso jogo de sedução.”
O livro é inspirado na peça de teatro escrita por Christopher Marlowe, no final do Século XVI.

📔

Às vezes precisamos passar pelo inferno para almejar o paraíso, essa frase veio de imediato assim que eu terminei de ler o livro, e apesar de não ter nenhuma relação com o mesmo, se encaixa perfeitamente. 

A história se passa nos anos 70, John Faustus é um professor que ensina Filosofia e está no augo dos seus trinta anos. Todo seu conhecimento adquirido conforme os anos, começam a ficar estagnados, ele anseia mais e com a morte de seu pai ele herda um livro. O conteúdo deste livro é repleto de informações ocultas, é isto o que ele deseja, obter conhecimentos que nenhum outro homem conseguiu. Vendo a oportunidade Faustus passa um tempo estudando o livro, decidindo então recitar um verso, uma forma bestial aparece, Mefistófeles, assustado pede que ela vá embora, e ela assim o faz, simultaneamente arrependido pede que retorne, mas em uma forma mais bela, assim é feito Feles retorna na forma de uma mulher de longos cabelos, sensual e corpo esbelto. Faustus então decide vender sua alma para Lúcifer em troca de todo o conhecimento possível.

“- Você deve escrever em um contrato, com seu próprio sangue, declarando os seus desejos. Lúcifer precisa dessa garantia e, sem isso, eu devo retornar para o Inferno.
– Fique Mefistófeles. Fique e me conte o que Lúcifer quer com a minha alma.
– Ele quer aumentar o seu reino.
– Então  isso é tudo? Então é isso? Essa é a razão para a tentação das almas no mundo?
– A miséria adora estar acompanhada.” Pg 67

Faustus então encaminha rumo ao conhecimento que ele jamais imaginara ter. Possuindo mais 24 anos de vida para satisfazer cada desejo e vontade com a ajuda de Feles que está a seu lado dando a ele tudo o que deseja – ou quase tudo.

” – Sim. Você não pode me pedir para fazer alguém amar você nem me pedir para tirar a vida de alguém. Esses são assuntos da alma, e a sua alma é a unica coisa sobre a qual o Príncipe das Trevas tem controle.
– Você quer dizer que ele tem controle sobre a minha alma? Ainda não.
– Vinte e quatro anos é somente um piscar de olhos comparado com toda a eternidade.
– Feles,às vezes,você me deprime.
– Você ainda não viu nada.”Pg.80

Esse livro é um aqueles livros que quando começamos não nos damos satisfeitos até termina-lo. É uma história que desenvolve-se rapidamente, vai direto ao assunto e a cada página é uma descoberta nova de como o ser humano é capaz de fazer certas coisas para conseguir aquilo que deseja , sem antes imaginar as consequências. O que me faz pensar : o que você estaria disposto a dar em troca para ter tudo o que sempre desejou?

Este é o primeiro livro do escritor Dav Freedman, sendo que a história foi baseada na peça de teatro do poeta, dramaturgo e tradutor inglês Christopher Marlowe (A Trágica História do Doutor Fausto). 

O que acontece quando você consegue obter tudo aquilo que sempre desejou? Ficaria satisfeito consigo mesmo? Isto seria o suficiente? E quando as suas escolhas, te fazem perder aquilo mais amava?  

Além de Faustus e sua busca pelo inalcançável, outras duas personagens que se destacaram muito foram Mefistófeles, uma demônia que apesar de sua natureza, pensa como teria sido se não tivesse tomado a decisão de virar as costas para o Criador, e Janis ex assistente de Faustus que nutria por ele um grande sentimento de amor e necessidade de ajuda-lo, mesmo quando ele não dera ouvido as suas preces, insistindo em afasta-la.

Seria enganação, dizer que ninguém quer ser lembrado após sua morte, pelos seus feitos e conquistas. Todo mundo tem ambições na vida, de ser, querer e ter. O conteúdo do livro em si é explorador, podemos nos aprofundar sobre questões que muitas vezes temos, mas acabamos não dando devida importância. Acredito que sempre há a devida necessidade de parar para repensar no tipo de vida que estamos tendo, e este livro me proporcionou à devida reflexão. Não poderia dar uma nota menor à não ser ótimo, o final foi de profunda satisfação, acreditava que seria uma coisa e acabou sendo outra e isto me agradou muito. Para quem quer sair das mesmices literárias que vemos muito por ai, este é um livro que pode acabar te tirando da ressaca literária e da estagnação.

Nem sempre bela capa e preço, definem o conteúdo, este livro é a prova viva disto. 

Espero que tenham gostado da resenha.XOXO.