Feliz aniversário para mim – Meus 24 anos e minhas reflexões.

Bom dia 😍

E finalmente chegou. Chegou mais uma vez este dia. Meu dia. Hoje completo 24 anos de idade. Feliz aniversário pra mim.

Sabe aquele momento da sua vida em que você percebe que o tempo não é misericordioso, que ele não para, não retrocede e que ele não é seu amigo. Pois bem, é assim que ele o é.

Desde à alguns anos atrás eu passei a acreditar firmemente que tudo na vida pode ser controlado. Absolutamente tudo sem exceção. Não importa quem diga que não, que estou errada e que não temos controle sobre nada, pra mim é difícil acreditar nisto.

Quando mais nova aprendi que, independentemente do que quer que seja, se acreditarmos fielmente em algo, isto passa a ser real. Então aqui está uma das minhas concepções de vida. Tudo é controlável.  Mas ai vem o tempo …

Tempo. Persistente tempo que deixa sua marca, sua notoriedade. Aquele que impõe sua presença, que registra sua passagem. Aquele cuja marca, crava.

Como posso eu acreditar que tudo na vida é controlável, se não acredito que o tempo seja. Há falha em minha ideologia. Ele passa, ele vai passar. E passar.  O tempo escorre entre meus dedos, e não possuo controle sobre ele, ou talvez não acredite que possua. Conforme os dias se vão, conforme fico mais velha, percebo pequenas falhas em minhas ideologias que se transformam em sabedoria. É a maturidade e novos ideais tomando posse, daquilo que antes eram apenas especulações.

Olhando para trás e vendo como eu me transformei no tipo de pessoa que sou hoje, vejo que ” as certezas ” eram apenas suposições, vejo que o tudo virou nada, e o nada, virou tudo. Constantes inconstâncias, sim, é deste modo que atrevo a registrar as fases que vivi. O que eu pensava que seria para sempre, foi algo de apenas um período. A vida se transformou, um novo dia surgiu, o tempo passou, eu amadureci, eu mudei, eu me corrigi.

A gente tende a aprender certas lições da maneira mais difícil possível, repetimos erros, ousamos dizer NUNCA e ignoramos de diversas maneiras aquilo que realmente importa, aquilo que não tem mais volta. Não damos valor, porque achamos que nada nunca mudara, que aquilo ou aquela pessoa estará sempre e infalivelmente disponível. E em todos estes momentos irreversíveis vem o TEMPO, o temível tempo que nos chacoalha trazendo-nos à realidade. Certas pessoas aprendem e tantas outras voltam aos mesmos erros. E o tempo continua passando, passando e passando. E toda a certeza do amanhã, que sempre temos, vai se perdendo em suas infinitas possibilidades de mudanças, mas isto nunca vemos. E de repente, sem aviso prévio vem o BOOM ! Esgotou nosso tempo. Não há volta, não há maneiras de recomeçar, não há o que fazer. Acabou. O tempo acabou. E morremos.

Não há um dia sequer que eu não pense que um dia este BOOM vai chegar, e o tempo vai acabar. E em todos estes dias eu penso: preciso fazer diferente, preciso ser melhor, preciso fazer valer a pena, preciso superar as expectativas. Nestes breves instantes de reflexão consigo entender a magnificência da vida, a importância de estar aqui presente, até que estes instantes desaparecem diante dos afazeres do dia a dia, diante das dificuldades, e até menos das alegrias e momentos prazerosos e esqueço do tal BOOM que pode apresentar-se diante de mim a qualquer instante.

Agora percebo que o tempo para. Que ele sossega e se desapega. Tudo isto acontece quando chega o BOOM. O ponto final. O END de toda historia. O tempo, é sim controlável, porque ele tem um começo, um meio e um fim. Que é o nosso fim. Se morremos o tempo para de existir para nós naquele momento. O que há depois não sabemos, o que houve antes não mais importa. O tempo acaba quando nós partimos.

Temos o controle de nossas escolhas, temos a sabedoria de fazermos diferente todos os dias, mas resolvemos fechar nossos olhos diante do que é passageiro porque temos medo do que não é eterno.

Hoje completo 24 anos de vida, possuo uma maturidade extrema sobre alguns assuntos, mas pouca em outros. Estou aprendendo, mudando, crescendo, vivendo, sonhando, realizando e amando. Sou uma pessoa igual à você, mas completamente diferente ao menos tempo. Sou o que escolho ser. Sou o que quero ser. Eu SOU.

IMG-20180318-WA0110

Texto de minha autoria:  Viviane Eb.

 

Anúncios

Assisti ao filme: Beleza Oculta (Collateral Beauty)

Oiii gente 🌷

Lembram que havia feito um post sobre o filme e havia comentado que iria no cinema vê-lo (aqui), pois é acabei não indo e me arrependo por isto, porque o filme é muito lindo ♥♥♥ Assisti a muitos filmes semana passada e este foi um deles (esta semana estou focada em séries 😂)

Repensei algumas vezes o filme, enquanto escrevia aqui minha opinião. Tocante seria a única palavra perfeita que acredito se encaixar, depois de tudo o que vi. Já adianto que esta não é uma resenha, porque uma resenha consiste em ser imparcial e eu não poderia,- nem mesmo se quisesse -, pois amei o filme.

Amor, tempo e morte o filme gira em torno dessas três abstrações criada por Howard interpretado por Will Smith que é um executivo que se sente perdido após a morte da filha. Então ele escreve, para o Amor, o Tempo e a Morte, como se isso de certa forma fora uma terapia.

No começo do filme, antes de mostrar como ele lida com o luto, ele da uma palestra em sua empresa falando da importância da publicidade na vida das pessoas, então ele questiona : Qual é o seu porque? Porque você saiu da cama hoje de manhã? Porque você comeu o que comeu? Porque você esta vestindo isto?… Eu adorei muito esta parte, porque me fez pensar não somente nestes porquês em que ele cita, como em outros porquês que estão envolvidos na minha vida.

Tudo gira em torno da grande pergunta: PORQUÊ? Uma vez meu professor de filosofia do ensino médio confrontou a nós alunos, sobre qual seria nossa reação se o mundo acabasse? Assim então, ele colocou em tópicos, uns disseram que iriam comer o que tivessem vontade, outros que iriam sair por ai agredindo as pessoas, outros iriam chorar, outros iriam rezar, outros iriam pedir perdão, outros diriam o quanto amavam as pessoas próximas, mas em tudo isto, em tudo o que possivelmente cada um poderia fazer, era algo premeditado, não seria surpresa, não seria novidade, não seria algo “inesperado” que qualquer um ou outro faria, seria algo apenas “esperado”. Então ele disse que após a morte, se tivéssemos a oportunidade de fazer apenas uma pergunta a Deus seria: PORQUÊ?

Tudo gira em torno do por que.  Necessitamos saber de um motivo, uma razão, algo que nos conforte perante nossas incertezas. Vocês talvez se perguntem o porque eu eu estar falando disto, mas é uma das mensagens que o filme passa, o questionamento, o “porquê “. Além claro, da mensagem de como lidar com o luto, importância da aceitação da perda e o valor que devemos dar a vida.

Hmm, no começo do filme toca a música da banda Kaleo: Way Down We Go, aquele que publiquei o vídeo aqui no blog a um tempo (AQUI)

Eu não sei vocês, mas não tiraria nem acrescentaria nada, a historia, o enredo, a atuação do Will Smith, e todo o resto foi maravilhoso de ver. Lamento não te-lo visto no cinema. E se eu chorei ? Como poderia não chorar ? Foi emocionante e no final do filme, (lembro que começou a chover aqui), foi como se o céu quisesse chorar comigo. É um filme triste e alegre ao mesmo tempo. E eu o pretendo assisti-lo novamente ♥

A música tema do filme se chama Let’s Hurt Tonight e é da Banda One Republic (amo eles ♥) Confiram:

O tempo não volta

#TextoPessoal
27/02/2017 - Viviane Ebuliani

00

Oi, já te disseram que você está perdendo tempo? Ele não volta! O tempo não volta, menina. Corta o cabelo, faz uma nova tatuagem, ouça sua música favorita, pegue um caderno velho, arrume a mochila.
É tempo de despedida.

Deixa o vento te beijar, novos caminhos vão te desafiar. A vida perfeita você quem faz, larga tudo. Deixa tudo pra trás. Recomece. Vamos, não esquece!
O tempo não volta, menina.
Trilhe seu caminho agora. Parta.
Busque o trem. Decida. Em contrapartida o tempo não volta.
Ele não volta, menina.

Vyb Ebuliani